Profundanças 2 está disponível online gratuitamente

Posted by on jul 6, 2017 in Notícias | No Comments

Na última quinta-feira (06), somando-se às ações realizadas em todo o mundo em memória ao 110º aniversário da pintora mexicana Frida Kahlo, foi lançado virtualmente o livro “Profundanças 2: antologia literária e fotográfica”. A obra, organizada pela professora universitária, poeta, performer feminista, Daniela Galdino, reúne poemas, contos e crônicas de autoria de 16 mulheres, além de ensaios fotográficos que retratam o cotidiano dessas escritoras realizados por 19 ‘fotógrafes’. Resultado de uma ação colaborativa e sem fins lucrativos, o livro conta com talentos da Bahia, Pernambuco, São Paulo e Rio Grande do Norte, e está disponível para download gratuito neste link.

Três anos após o lançamento do primeiro volume da antologia, “Profundanças” volta a dar corpo às narrativas e textuais visuais de autorrepresentações de mulheres, autoras inéditas em sua maioria, permitindo que leitoras/es as conheçam e se reconheçam por meio dos seus escritos. Considerado um espaço de diálogos, expansões artísticas e democratização, ao ser disponibilizado na internet, o livro poderá ser lido em diferentes contextos, por diferentes sujeitos, ampliando as possibilidades de experiências literárias.  “Com isso, Profundanças representa as insurgências de quem, a partir de ações colaborativas, se dedica a rasurar a lógica de invisibilidade literária imputada às mulheres e que ainda impera no mercado editorial brasileiro ”, explica Daniela.

Nesta segunda edição, a pluralidade de experiências e a dissidência de vozes encontram um ponto em comum que é a palavra escrita de artistas negras, não negras e trans não-binárias, que são: Aidil Araújo Lima (BA), Ana Mendes (RN), Andréa Mascarenhas (BA), Daniela Galdino (BA), Dayane Rocha (PE), Débora Ramos (PE), Erika Cotrim (BA), Haisa Lima (BA), JeisiEkê de Lundu (BA), Laiz Carvalho (BA), Larissa Pereira (BA), Lílian Almeida (BA), Mel Andrade (BA/SE), Miriam Alves (SP), Rita Santana (BA), Thalita Peixe de Medeiros (PE).

Já os ensaios fotográficos são assinados por Adrian Greyce, Ana Lee, Andrezza Tavares, Brenda Matos, Camila Camila, Catarina Barbosa, Cláudio Gomes, Haísa Lima, Henrique Valença, Inajara Diz, João Caique, João Santana, Josi Oliveira, Lanmi Tripoli, Leticia Ribeiro, Mariana Lisboa, Shai Andrade, Rodrigo Iris e Ytallo Barreto.

Outras/os profissionais voluntárias/os compõem a equipe, na empreitada de realizar desde a curadoria, arte, diagramação e divulgação, em um trabalho que durou seis meses para ficar pronto. Assim, a produção ficou a cargo de Daniela Galdino, Edson Bastos e Henrique Filho, e tem Dandara Galdino, Jennifer Bonfim e Karine Fênix como assistentes de produção. Já o Ícaro Gibran, responsável pela elaboração da capa, é o designer de Profundanças 2, que tem como ilustradora, Bruna Risério. A divulgação conta com Jennifer Bonfim e Tacila Mendes na assessoria de imprensa e Mel Andrade como social media.

Profundanças é um projeto totalmente colaborativo e desde 2014 se apresenta como primeira experiência editorial da produtora baiana Voo Audiovisual, que já vem se destacando no cenário estadual e nacional com projetos de cinema, teatro e formação de público para as artes. A realização do livro “Profundanças 2: antologia literária e fotográfica” tem caráter independente.

Sobre as escritoras – por elas mesmas

Aidil Araújo Lima cresceu na cidade de Cachoeira (BA). Após andanças pela vida retornou à terra dedicando-se a escrever, alinhavando o tempo, costurando palavras. Cursou Filosofia e Jornalismo na Universidade Católica de Salvador. Com contos e poesias premiados, participou da antologia em homenagem ao poeta Gonçalves Dias, obteve Menção Honrosa com o conto Resistência, Jubileu de Ouro de Mogi das Cruzes (premiação e antologia). Teve textos publicados pela Camará Cartonera e Revista Philos. Teve contos selecionados para o Mapa da Palavra.Ba 2016. No mesmo ano participou de roda de conversa com outros escritores na FLICA – Festa Literária Internacional de Cachoeira.

Ana (RN), não a Ana Paula no registro institucionalizada. Ana Mendes: quem tenho escolhido ser. Tenho 22 anos e faço filosofia na UFRN. Isso não me diz muito. A escrita é um grande arrodeio na tentativa de me conhecer e declamar foi à guisa e o revide político meu. Participei da antologia CidaDelas (2017, Sebo Vermelho), em breve lançarei o zine Lacônica, integro a antologia Blackout (no prelo). Participei do grupo de declamadores Dirocha. Divulgo os poemas autorais na fan page Erro Errante. Tenho um blog: pensamentos avulsos.

Andréa do Nascimento Mascarenhas Silva. Professora de Literatura (UNEB). Edita o Blog literário ..Arquivos.. impertinentes (Blogspot). Classificou-se em 13º lugar no ‘XII Festival de poesia, crônica e conto’ (Fund. Cultural de Imperatriz – Maranhão, 2001). Ministra oficinas de criação literária. Publica prosa e verso em veículos impressos e eletrônicos, nacionais e internacionais. Participa do ‘Dicionário de escritores contemporâneos da Bahia’ (2015) e da versão eletrônica do Projeto ‘Mapa da Palavra.BA’ 2016 (FUNCEB). Organizou o livro ‘Escuta de conchas: literaturas baianas’ (Eduneb, 2016).

Sou Daniela Galdino (BA): Poeta, Performer e Profa. de Literatura na UNEB. Nasci em terras grapiúnas, mas costumo me espalhar pelo mundo. Soul mãe de Dandara. Em 2014 idealizei o projeto Profundanças. Publiquei ‘Inúmera’ (2011, 2013, Mondrongo) e ‘Vinte poemas caleiDORcópicos’ (2005, Via Litterarum). Participei de antologias, dentre elas, ‘Autores baianos’ (P55, Secult-Ba, 2013), ‘Fora tema’ – cartonera (Funceb, 2016), ‘Revista Organismo’ (ed. Organismo, 2015). Tenho poemas na versão impressa e eletrônica do Mapa da Palavra_Ba (Funceb, 2016). Sou garimperia da MPB setentista. Tenho um blog: www.operariadasruinas2.blogspot.com

Meu nome é Dayane da Rocha Lira, natural de Afogados da Ingazeira (PE). Tenho a graça de morar em Brejinho, lugar onde finquei as minhas raízes poéticas, familiares e humanas, na zona rural de Tabira – Pernambuco. Tenho 21 anos, sou formada em História, e participo dos eventos culturais da cidade e da região do Pajeú. Sou poetisa-declamadora e improvisadora, e uma entre as três mulheres que atualmente participam da mesa de glosas, em um ambiente masculino e machista.

Débora Ramos (PE), natural de Garanhuns, é uma cidadã do mundo. Viveu por alguns anos entre o Brasil e a Alemanha. Faz as suas travessias pelo Atlântico com os pés no chão. Mesmo que o espírito irrequieto e insatisfeito com os paradoxos da humanidade lhe proporcione grande desencanto, faz desse desassossego leito para suas composições e alimenta, assim, a passos de formiga, sua relação com música, teatro, cinema, literatura e fotografia. É profundamente vinculada às expressões culturais populares. Atua como produtora cultural, tendo realizado gestão intercultural no espaço FORUM-BRASIL (Berlim, Alemanha), e recentemente na produção do IV CINE REBOCO – Mostra de cinema pernambucano, em Garanhuns.

Erika Cotrim (BA) tem 29 anos é comunicóloga e empresária. Formou-se em Comunicação Social na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), e atualmente é sócia diretora da Agência Kzullo Mídias Sociais, em Itabuna- Bahia. Também atua como consultora em Comunicação e Meio Ambiente. Escreve toda quarta-feira sobre a vida, as coisas e os seres humanos no umarumadetexto.tumblr.com.

Haisa Lima (BA). Ilheense nascida em 26 de março de 1990, pensava em cursar jornalismo pelo amor à escrita – porém graduou-se em Comunicação Social RTV (UESC), apaixonando-se também por design e fotografia. Como a palavra é perene, danou a fazer Mestrado em Letras (UESC). É militante feminista e LGBT. Quanto à poesia, esta sempre esteve lá, mas nunca ganhou concurso nem partilhou antologias; em vez disso, vagou nuns blogs e numas gavetas, carregando amores e vislumbres cósmicos.

JeisiEkê de Lundu (BA) (25) artista visual e performer, nascide na divisa de Minas com Bahia, tem dentro de si queijo, dendê e uma vontade imensa de transformar as coisas por onde passa. Aborda em suas obras questões que atravessam suas vivências enquanto pessoa trans- não binarie, as violências, resistências e criações. Estuda artes na UFBA, ama tintas e objetos colados no rosto, fotografa coisas e desenha seres não reais. Escuta Elza e Bethania enquanto fuma um cigarro, mora em Salvador, mas vive na estrada.

Laiz Carvalho Nascimento. Nasci em Itabuna (BA), em 14 de outubro de 1978. Cursei Letras na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) nos idos de 2002 a 2006. Especializei-me em Literatura Comparada na mesma instituição. Em 2007, ingressei na rede estadual de ensino da Bahia e desde então leciono Língua Portuguesa/Literatura. Sou mãe de um menino incrível que contribui para pulsar com mais veemência a minha veia criacionista. Vivo no mato… Gosto do mato… Sigo arquitetando casas de João no barro maleável das minhas poesias mais íntimas.

Eu sou Larissa Santos Pereira, baiana de Ipiaú. Tenho 36 anos e sou mãe de um menino, Sol Benedito. Me salvo na palavra, que arde como fogo dentro de mim. Sou professora, mas a dor de ensinar me pegou no meio do caminho, estou afastada da sala de aula. O amor é a coisa mais linda do mundo (preciso dizer). Desde que entendi que a sanidade é acidente, criei um blog. Deixei ele dormir, mas agora tô querendo acordar. http://quasequasesa.blogspot.com.br/

Baiana de Salvador, Lílian Almeida publicou seu primeiro livro em 2014, Todas as cartas de amor (Quarteto, 2014, ficção). Participa do livro Além dos quartos: coletânea erótica negra Louva Deusas (2015). Publica poemas, contos e crônicas no blog Cartas, fotografias e outros guardados [lirioalmeida.wordpress.com/]. É professora na Universidade do Estado da Bahia.

Mel Andrade (BA/SE) é itabunense, bacharel em Comunicação Social em Rádio e TV pela Universidade Estadual de Santa Cruz. Cometeu a malandragem de fazer da palavra seu ganha-pão ao decidir ser Publicitária e Social Media, embora seja uma lirista de gaveta. Quando só, maneja seus silêncios para que se descarreguem naturalmente no papel (mas fala a língua dos memes na frente das visitas). Feminista, geminiana, nerd, de esquerda e pode ser encontrada facilmente na internet – seu habitat natural desde 2003 – sob o codinome de @ohveeei.

Miriam Alves (SP) é  Graduada em Serviço Social pela FMU. Participou de várias antologias de poemas e contos no Brasil e exterior. Integrante do Quilombhoje Literatura, de 1980 a 1989. Publicou: Momentos de Busca, poemas 1983; BrasilAfro, ensaios, 2011; Mulher Mat(r)iz, contos,2012; Bará na trilha do vento, romance, 2015.

Rita Santana (BA) é escritora, atriz e professora, nascida em Ilhéus em 1969. Graduou-se em Letras pela UESC e tem especialização em Cultura e História Afro-brasileira. Em 2004 estreou na Literatura com o prêmio Braskem na categoria contos, com o livro Tramela.  Em 2006 o seu livro Tratado das Veias, de poesia, foi publicado pelo Selo Letras da Bahia. Alforrias, livro de poesia, foi publicado pela EDITUS em 2012 e teve uma segunda impressão em 2016. Em 2015 publica o poema Adusto na revista Organismo.

Thalita Peixe de Medeiros nasceu em Recife (PE). Mas vive e tem muita referência sobre ser gente e comunidade em GoianaAgonia, zona da mata pernambucana. Disseram: Poetisa. Talvez pela utopia de se propor em linhas retas, verbalizando a pressa. Embora ciente, a vida se alinha em pontos falsos, vírgulas para dar topadas e há quebrada de rimas para refazer o compasso. Designer de Moda pela FVB DEVRY, inquieta debulha-se em reflexões onde o ponto cruz da questão está para além da estética. Em verdade, sua licença poética é o exercer como produtora cultural, militante feminista no Coletivo das Vadias Recife e em outras bruxarias entre o estético, literário, questões de gênero e cultura. Tudo isso enquanto faz seu dever de caso&casa, preparando bolo de cenoura, ajudando Nina a crescer e aprendendo a crescer com Nina.

Comentários