Profundanças 2 participa dos Saraus em Pasárgada, Recife-PE

Posted by on ago 21, 2017 in Notícias | No Comments

Depois de ser lançado virtualmente em pleno aniversário de Frida Kahlo (06 de julho), o livro “Profundanças 2: antologia literária e fotográfica” estará na edição especial dos Saraus em Pasárgada, que acontece no dia 25 de agosto, às 18h, no Espaço Pasárgada, em Recife. O local é emblemático: funciona no casarão neoclássico onde o poeta Manuel Bandeira passou a infância, tornando-se inspiração para muitos de seus poemas. O evento contará com a presença das escritoras Daniela Galdino (BA), Belisa Parente, Dayane Rocha, Débora Ramos Fernanda Limão e Thalita Peixe de Medeiros (PE) e da fotógrafa Amanda Pieta (PE). A entrada é franca.

Profundanças 2 é uma organização da professora universitária itabunense, poeta e performer feminista,  Daniela Galdino, realizada em parceira com a produtora baiana Voo Audiovisual. Resultado de uma ação colaborativa, sem fins lucrativos e independente, a obra reúne poemas, contos e crônicas de autoria de 16 mulheres, além de ensaios fotográficos que retratam o cotidiano dessas escritoras realizados por 19 ‘fotógrafes’, somando talentos da Bahia, Pernambuco, São Paulo e Rio Grande do Norte. Para fazer o download gratuito, basta acessar: http://vooaudiovisual.com.br/profundancas2

A presença de escritoras e fotógrafas/os pernambucanas/os é marcante desde o início de Profundanças. Para celebrar esses diálogos entre Pernambuco e Bahia, a equipe do livro tem firmado parcerias para a realização de encontros com as artistas pernambucanas que participam do projeto. A primeira atividade aconteceu em 24 de julho, durante o Festival de Inverso de Garanhus e em parceria com a Aldeia Tear, quando foi realizada a Roda de Conversa “Pernambuco em Profundanças”.

A segunda edição de Profundanças

Nesta segunda edição, lançada três anos após a primeira, a pluralidade de experiências e a dissidência de vozes encontram um ponto em comum que é a palavra escrita de artistas negras, não negras e trans não-binárias, que são: Aidil Araújo Lima (BA), Ana Mendes (RN), Andréa Mascarenhas (BA), Daniela Galdino (BA), Dayane Rocha (PE), Débora Ramos (PE), Erika Cotrim (BA), Haisa Lima (BA), JeisiEkê de Lundu (BA), Laiz Carvalho (BA), Larissa Pereira (BA), Lílian Almeida (BA), Mel Andrade (BA/SE), Miriam Alves (SP), Rita Santana (BA), Thalita Peixe de Medeiros (PE).

Já os ensaios fotográficos são assinados por Adrian Greyce, Ana Lee, Andrezza Tavares, Brenda Matos, Camila Camila, Catarina Barbosa, Cláudio Gomes, Haísa Lima, Henrique Valença, Inajara Diz, João Caique, João Santana, Josi Oliveira, Lanmi Tripoli, Leticia Ribeiro, Mariana Lisboa, Shai Andrade, Rodrigo Iris e Ytallo Barreto.

“Profundanças 2: antologia literária e fotográfica”, novamente, busca insurgir contra a lógica de invisibilidade literária imputada às mulheres no mercado editorial brasileiro. Por essa intenção, a obra recebeu uma Moção de Louvor aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores de Itabuna, no dia 08 de agosto. A homenagem foiiniciativa do vereador Enderson Bruno dos Santos.

MISSIVAS nos Saraus em Pasárgada 

A programação dos Saraus em Pasárgada terá, ainda, MISSIVAS, performance poético-musical de Daniela Galdino. A performance resulta de uma residência artística que a performer baiana realizou no agreste pernambucano, em 2016, junto ao Coletivo Tear (Garanhuns – PE). De forma desafiadora, Galdino passeia pela poesia autoral em diálogo com a palavra de outras mulheres, como forma de encenar transgressões, delírios, desejos e formas de resistência. MISSIVAS tem trilha sonora ao vivo e, desde sua estreia, contou com a participação de diversos músicos, com ambientação sonora do erudito ao eletroacústico. Para os Saraus em Pasárgada, a performance terá trilha sonora do pesquisador musical e artista recifense Marco da Lata, que levará para a performance uma intensa colagem sonora com raros LP do vasto acervo setentista.

Sobre as escritoras – por elas mesmas

Belisa Parente nasceu em 29 de maio de 1985 no coração do Recife, filha de dois cearenses bem pernambucanos, viveu dos 13 aos 16 no Crato, volta sempre ao Cariri e vai muito ao Exu, onde os seus avôs fincaram raízes. Na infância Belisa escrevia sentimentos em diários e correspondência, na adolescência se viu poetisa, sonhou ser escritora e virou jornalista, hoje é também cronista e há rumores de um romance por aí.

 

 

Daniela Galdino (BA): Poeta, Performer e Profa. de Literatura na UNEB. Nasci em terras grapiúnas, mas costumo me espalhar pelo mundo. Soul mãe de Dandara. Em 2014 idealizei o projeto Profundanças. Publiquei ‘Inúmera’ (2011, 2013, Mondrongo) e ‘Vinte poemas caleiDORcópicos’ (2005, Via Litterarum). Participei de antologias, dentre elas, ‘Autores baianos’ (P55, Secult-Ba, 2013), ‘Fora tema’ – cartonera (Funceb, 2016), ‘Revista Organismo’ (ed. Organismo, 2015). Tenho poemas na versão impressa e eletrônica do Mapa da Palavra_Ba (Funceb, 2016). Sou garimperia da MPB setentista. Tenho um blog: www.operariadasruinas2.blogspot.com

 

Meu nome é Dayane da Rocha Lira, natural de Afogados da Ingazeira (PE). Tenho a graça de morar em Brejinho, lugar onde finquei as minhas raízes poéticas, familiares e humanas, na zona rural de Tabira – Pernambuco. Tenho 21 anos, sou formada em História, e participo dos eventos culturais da cidade e da região do Pajeú. Sou poetisa-declamadora e improvisadora, e uma entre as três mulheres que atualmente participam da mesa de glosas, em um ambiente masculino e machista.

 

Débora Ramos (PE), natural de Garanhuns, é uma cidadã do mundo. Viveu por alguns anos entre o Brasil e a Alemanha. Faz as suas travessias pelo Atlântico com os pés no chão. Mesmo que o espírito irrequieto e insatisfeito com os paradoxos da humanidade lhe proporcione grande desencanto, faz desse desassossego leito para suas composições e alimenta, assim, a passos de formiga, sua relação com música, teatro, cinema, literatura e fotografia. É profundamente vinculada às expressões culturais populares. Atua como produtora cultural, tendo realizado gestão intercultural no espaço FORUM-BRASIL (Berlim, Alemanha), e recentemente na produção do IV CINE REBOCO – Mostra de cinema pernambucano, em Garanhuns.

Fernanda Limão é poeta, produtora cultural, professora, pesquisadora e brincante de cultura popular. Natural de São Paulo, mas pernambucana por escolha, mora em Garanhuns desde 2000, onde experimentou das belezas culturais do estado pela primeira vez. É Produtora Executiva no Boi da Macuca (Correntes) e integrante do Coletivo Tear (Garanhuns). Publica suas poesias (via internet) desde 2010, mas escreve desde que aprendeu a fazer os primeiros rabiscos.  Gosta de ocupar os espaços com poesia. Becos, ruas, paredes, calçadas. A poesia anda feito gente e é mais viva do que muitos.

 

Thalita Peixe de Medeiros nasceu em Recife (PE). Mas vive e tem muita referência sobre ser gente e comunidade em GoianaAgonia, zona da mata pernambucana. Disseram: Poetisa. Talvez pela utopia de se propor em linhas retas, verbalizando a pressa. Embora ciente, a vida se alinha em pontos falsos, vírgulas para dar topadas e há quebrada de rimas para refazer o compasso. Designer de Moda pela FVB DEVRY, inquieta debulha-se em reflexões onde o ponto cruz da questão está para além da estética. Em verdade, sua licença poética é o exercer como produtora cultural, militante feminista no Coletivo das Vadias Recife e em outras bruxarias entre o estético, literário, questões de gênero e cultura. Tudo isso enquanto faz seu dever de caso&casa, preparando bolo de cenoura, ajudando Nina a crescer e aprendendo a crescer com Nina.

Comentários